Como Deus curou meu gato...

19:17


Aqui no blog já tinha falado como Deus salvou o Belo naquele dia...

Pessoal, hoje gostaria de revelar a vocês um pouco sobre a história de Theo, um dos nossos gatinhos. Theo veio aqui para casa para não morrer, já que seria abandonado. Bem filhotinho, ele veio para cá junto com sua irmãzinha Lucy, e um outro irmãozinho. O irmãozinho dele conseguimos um adotante. A Lucy morou conosco, mas virou estrelinha no Céu.

Por fim, por conta de algumas brigas nas ruas (o Theo ainda não foi castrado), apareceu na unha dele uma ferida bem grande e funda, como uma fenda. Um dia depois, percebi que na patinha dele tinha bicheira, e fui levá-lo ao vet. Não sei como os animais percebem isso, mas Theo fugiu e sumiu, o dia inteiro. A pata estava com uma ferida aberta, e cheia de bicho. Mesmo assim, ele conseguiu fugir justamente quando íamos levar ao vet (veterinário).

Sinceramente, esperei o pior. Theo sumiu com um machucado daquele tamanho, e com bichos. Para ter noção, nem comeu ou bebeu quando saiu de casa. No fim das contas, ele apareceu apenas no OUTRO DIA, quase 10h da manhã. Ele ficou mais de 24h longe de casa. O gatinho estava cheio de dor, mal conseguia andar. A pata dele estava com bichos maiores, estava bastante inchada. Saía um líquido laranja da feridas. Pegamos ele e levamos ao vet imediatamente.

Olha como a patinha dele estava
Pagamos a consulta dele, um exame de sangue, além de uma limpeza da pata, cheia de bichos, que já estavam grandes. Lembro que a veterinária que atendeu ele disse que ele tinha mais de 20 bichos grandes dentro da pata. Ele ficou sendo cuidado pela veterinária o dia inteiro. A noite buscamos ele para casa.

Não tínhamos grana suficiente para pagar o exame de esporotricose, uma doença terrível que o gato pode ter, e passar para os seres humanos. Mesmo assim, começou nossa jornada de passar curativo e os remédios que a veterinária nos receitou. Começou o calvário.

Mas as coisas deram a entender que poderia piorar..

Um dos sinais da esporotricose é o aparecimento de feridas, que não fecham, no corpo. Começou a aparecer feridas no corpo do nosso gatinho, pelo menos fomos reparando. Isso começou a nos intrigar. Além disso, ele nos arranhou e mordeu durante a maratona de remédios. Se ele tivesse realmente esporotricose, passaria para nós. Começou o sofrimento. Conseguimos o dinheiro para fazer o exame alguns dias depois.

O exame de esporotricose demora muitos dias, já que o procedimento é coletar sangue e cultivar para ver se nascem fungos. Mesmo assim, a incerteza por não saber se ele tinha ou não (e nós também!) começou a nos atingir. Isso sem contar com o sofrimento do nosso grande amigo. Quem ama animais, sabe o que estou dizendo! Eles são como filhos.

Os dias foram passando, as feridas pareciam não fechar. Isso foi assustador. Vi na internet sobre colocar açafrão nas feridas do gato, que cicatriza rápido. Não deu certo. Algumas fotos (veja abaixo), pode perceber que ele está com as feridas amarelas, porque era o açafrão que colocava nele.

Em meio a isso, oramos muito para Deus salvar nosso gatinho. Como temos mais dois outros gatos aqui (Belo e Charmosa), o Theo teve que ficar no quarto fechado. Ele ficou mais de um mês preso lá. Fazíamos um revezamento para fazer companhia a ele. As feridas aumentando, o açafrão e os remédios não diminuindo, as probabilidades de esporotricose eram altas... Apenas um milagre para livrar o Theo (e nós também).




Houve algumas coisas que não vou contar nesse post. Só sei de uma coisa: quando o que era difícil, se torna impossível, Deus começa a agir. Ele abre sempre uma porta onde não há saída. O impossível Ele faz acontecer! Senti a presença de Deus em casa. Sabia que Cristo tocou no nosso gatinho.

Os remédios pareciam não dar efeito. O açafrão não adiantou de nada. Mas depois que senti a presença de Deus, tive a confirmação da cura. Não me pergunte como eu sabia disso. No dia seguinte, as feridas já começaram a fechar inacreditavelmente, inclusive, a crescer pelinho nela. Tirei o açafrão, diminuí um dos remédios. Houve uma melhora considerável.











Com a confirmação da cura, só esperamos o resultado do exame de esporotricose. O resultado demoraria 15 dias, mas demorou mais de 20 (eu acho). Mesmo assim, já sabíamos que o Theo não tinha isso. Sabíamos que o Senhor tocou nele. As feridas estavam se fechando a cada dia. Porém, por responsabilidade, não liberamos ele pro quintal. Como ele estava com o colar, a partir daí, deixamos ele andar pela casa desse jeito (foto abaixo).


E o exame?! Não deu esporotricose, mas um outro fungo simples. A veterinária passou um spray e mandou ele ficar  mais um mês de molho. Passamos o spray nem 5x (eu acho) e ele já estava com sua vidinha normal, dando seus passeios. Vale lembrar que vamos sim castrar o Theo (assim como os outros), além de telar a casa. Por enquanto estamos em fase de obras aqui.

Mas e sobre a patinha dele, e as feridas? Sumiram... A única coisa que sobrou foram as marquinhas, fora outras das brigas novas. A patinha dele totalmente curada.



Deus ama os animais também. É Sua criação. Agradeço ao Senhor pelo toque em Theo. Deus sabe o sofrimento que passamos durante mais um mês, no fim de 2019. Aqui vale um registo e um testemunho. Obrigado por ter lido até aqui. Abraços.

Curtam a nossa página no Facebook para acompanhar nossas células ao vivo.
Aproveite e também se inscreva no nosso canal do Youtube. 

Você também pode gostar

0 comentários

Curta nossa Página